Pesquisa na Uerj

A cada ano, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) amplia sua infraestrutura em pesquisa, com a instalação de novos laboratórios, assinatura de convênios técnico-científicos, criação de grupos de pesquisa e incremento nos programas de apoio. O resultado é o aumento da produção científica da Universidade. Atualmente, a UERJ conta com, aproximadamente, 315 grupos de pesquisa e mais de mil pesquisadores cadastrados no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Como suporte à produção científica dos seus alunos, a Universidade dispõe de cerca de 600 bolsas de pós-graduação Stricto sensu, oferecidas pelo CNPq e pela Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (Capes), e 700 bolsas para alunos de graduação vinculados ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic), financiado pela UERJ e pelo CNPq.

Uma das formas de estímulo aos docentes da Universidade é o Programa de Incentivo à Produção Científica e Tecnológica (Prociência). Criado em 1996, o Programa possibilita dedicação exclusiva para o desenvolvimento de pesquisas e projetos, paralelamente às atividades em sala de aula. Hoje, atende a 359 bolsistas.

Outra iniciativa é o programa Professor Visitante, que permite às Unidades Acadêmicas contratar, temporariamente, docentes com vasta experiência científica a fim de incrementar programas de pós-graduação e grupos de pesquisa.

A estrutura de pesquisa da UERJ inclui laboratórios nas mais variadas especialidades, utilizados também no ensino de graduação e pós-graduação. Na área de meio ambiente, a Universidade destaca-se com o Centro de Estudos Ambientais e de Desenvolvimento Sustentável (Ceads), instalado na Ilha Grande, no município de Angra dos Reis, no sul do Estado. O Centro oferece a infraestrutura necessária para realização de pesquisas e trabalhos de campo na região, tanto a cientistas e estudantes da UERJ como de outras instituições.